M.Libânio - Agrícola S.A

Cacao


  • Imagem 1
  • Imagem 2
  • Imagem 3
  • Imagem 4
  • Imagem 5
  • Imagem 6
  • Imagem 7
  • Imagem 8
  • Imagem 9

A escolha do material genético deve considerar tolerância à doença Vassoura-de-bruxa, histórico de produtividade e qualidade requerida pelo mercado.

Neste sentido, pesquisadores do Centro de Pesquisa do Cacau da CEPLAC (Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira) estão desenvolvendo trabalho intensivo com a participação de produtores brasileiros e apoio de diversos órgãos, como por exemplo, o CIRAD (França), a M & M MARS (EUA), a Universidade de São Paulo (Brasil), o Instituto Tecnológico de Alimentos (São Paulo-Brasil) e a Universidade de Santa Cruz (Bahia-Brasil), o que permitirá a perfeita sinergia entre agricultores e chocolateiros.

O material genético primariamente introduzido na Bahia foi do tipo Forastero, porém, já a partir das variedades híbridas distribuídas pelo Centro de Pesquisa do Cacau aos agricultores - a partir da década de 70 - esta realidade começou a se alterar, com a introdução de descendentes de Trinitários.

Atualmente, com o advento da doença Vassoura-de-bruxa, pode-se afirmar que processos de melhoramento genético em andamento no Brasil, conferem a real expectativa de associação de genes de tolerância a esta doença, encontrada em materiais como Scavina, Rb, Cruzeiro do Sul, Pound, CAB, Ocumare, Chuao, Playa Alta, Silécia, Morona, entre outros, a fatores de qualidade (sabor e aroma) provenientes de variedades de Criollo e Trinitário.

Esta evolução da pesquisa, somada ao grande aprimoramento dos cacauicultores baianos, no que tange ao domínio da prática da reprodução assexuada de cacaueiros (enxertia), permite que plantios possam ser alterados conforme demandas específicas em tempo anteriormente jamais pensado (início da produção em um ano e produção comercial a partir do quarto ano).

Dentro desta visão, a M. Libânio não só tem priorizado a utilização de variedades que possam lhe trazer a produtividade com qualidade e tolerância, como também conta com um vasto banco de variedades de plantas tolerantes a doenças e de alta produtividade sendo disponibilizado a todos os trabalhos de pesquisa citados.


Rua Manoel Libânio da Silva, 100, Centro, Gandu - Bahia - Brasil | CEP 45.450-000